As barreiras dos títulos universitários e certificações no Brasil

Uma pesquisa realizada pela FGV, Departamento de Análise de Políticas (DAPP) aponta os avanços e desafios que ainda persistem — na re-validação e reconhecimento de diplomas estrangeiros, uma ferramenta crucial para atrair e reter mão de obra qualificada no país. De acordo com o estudo, o lançamento da Carolina Bori plataforma, do Ministério da Educação (MEC), e ainda em implantação, juntamente com alguns federal regulamentos do governo, resultou em avanços no campo, reduzindo a burocracia necessária por universidades Brasileiras, mas ainda há gargalos a ser fixada pela administração pública.

O excesso de autonomia conferido a re-validação de instituições de ensino resultou em um lento re-validação e processo de reconhecimento e dispersos acesso à informação por parte dos candidatos, em última análise, a desova incerteza jurídica quanto à validade dos diplomas, com potencial de perdas para a sociedade, o Estado, a ciência, e as próprias instituições de ensino. Nos últimos anos, este cenário levou muitos imigrantes a escolher empregos de nível médio ou a se matricular em ensino superior ou cursos técnicos para obter um diploma que lhes permitiu trabalhar.



As novas regras exigem uma padronização de processos e documentos exigidos pelas universidades de re-validação. A documentação apresentada pelos estrangeiros já não precisa de ser traduzida se estiver numa das chamadas línguas comuns (inglês, francês ou espanhol). Além disso, foi concedido às instituições um prazo para concluir os processos: 60 dias para licenciaturas e 90 dias para mestrados e doutoramentos.

As novas regras também determinam que as universidades podem aplicar exames em caso de dúvidas quanto à equivalência de disciplinas ou para substituir a análise de documentos. Os exames para estrangeiros que não têm todos os documentos necessários são aplicados em português, o que é um problema para alguns imigrantes, incluindo refugiados. Além disso, a plataforma permitiu que os titulares de diplomas estrangeiros se registrassem, selecionassem uma universidade, submetessem a documentação e fizessem o pedido de re-validação online. No entanto, uma vez que o registo de plataformas não é necessário para a revalidação de universidades, a aceitação tem sido lenta. Existem atualmente 61 universidades, concentradas principalmente nas regiões Sul e Sudeste do país.

Comentários

Postagens mais visitadas